27.11.11

Reflexão Notícias # 23

Uma ideia mais do que infeliz...

No site da Petição pública é possível ler o seguinte absurdo:

"O Rendimento Social de Inserção (RSI) criado em 2004 em substituição do Rendimento Mínimo Garantido define-se por: “uma prestação incluída no subsistema de solidariedade e num programa de inserção, de modo a conferir às pessoas e aos seus agregados familiares apoios adaptados à sua situação pessoal, que contribuam para a satisfação das suas necessidades essenciais e que favoreçam a progressiva inserção laboral, social e comunitária. Em 2009 a despesa da segurança Social atingiu um valor muito próximo dos 18% do PIB Nacional sendo que em 2009, o valor gasto somente no Rendimento Social de Inserção (RSI) encontra-se situado em cerca de 500 000 milhares de euros.

Em 2009 O número de pessoas a receber o Rendimento Social de Inserção em Portugal aumentou para um total de 379.849 beneficiários. Um acréscimo de quase 23 mil, relativamente a 2008.

De acordo com a informação disponível no 'site' da Segurança Social, sujeita a actualizações, em Setembro de 2008 existiam 148.377 famílias a receber esta prestação social mais 22.856 do que no ano anterior.

Em termos médios, a prestação de Rendimento Social de Inserção (RSI) processada situou-se nos 242,25 euros por família e nos 93,09 euros por beneficiário.

Também cerca de 40 por cento dos beneficiários (144.504) têm menos de 18 anos, enquanto 2,5 por cento (9.528) têm 65 ou mais anos mas curioso que a segunda maior percentagem refere-se aos beneficiários com idades entre 20/24 anos (12 475 Mulheres e 10 525 homens)

Em 2004 cerca de 8.000 estrangeiros estavam a beneficiar do Rendimento Mínimo Garantido.

Como é possível verificar pelos dados disponíveis a maior percentagem dos valores atribuídos vai para quem nunca trabalhou ou seja nunca contribuiu para a segurança social.

À margem dos dados disponíveis faltam os dados relativos a economias paralelas que são visíveis aos olhos de todos os cidadãos, o que permite que os beneficiários desta prestação social tenham um nível de vida superior aos de quem efectivamente trabalha de forma oficial.

Assim e porque basta de:

1- Ser sempre quem trabalha a pagar a factura da crise;

2- Ser sempre quem trabalha a ser prejudicado com as medidas do governo;

3- Ser sempre quem trabalha a contribuir para a Segurança Social para que o dinheiro seja reencaminhado para quem não trabalha e nunca trabalhou;

4- Ser sempre quem trabalha a ser prejudicado com os cortes da Segurança Social;

5- Para terminar com economias paralelas;

6- Para que o não trabalhar deixe de compensar;

7- Para impor responsabilidades sociais;

8- Para uma maior justiça social;

Reclamamos pela presente Petição a EXTINÇÂO DO RENDIMENTO SOCIAL DE INSERÇÃO "



Sou totalmente contra esta petição.. não só enquanto profissional, mas sobretudo enquanto pessoa!!!

Banco Alimentar... Alimente esta ideia!!!

24.11.11

Divulgação de Projectos # 16

A imagem dos peditórios na rua já é quase um anacronismo. Ao contrário da net que se tornou um espaço indispensável para os movimentos cívicos e instituições de solidariedade social divulgarem os seus projetos e captarem novos apoios. Dos mais tradicionais aos mais inovadores, encontramos de tudo. Segue-se um cardápio:

  • Alimente esta ideia

O portal de doação do Banco Alimentar tem vindo a angariar cada vez mais bens. Com um simples clique, escolhem-se os artigos que se pretende entregar e efetua-se a compra, sem precisar de sair de casa. Uma das grandes recolhas anuais está agora em curso, até 4 de dezembro. E foi introduzida uma novidade os "cabazes de família", com um valor unitário de 10 euros. Mais informações sobre o projecto aqui.

  • Bens de utilidade social

Aqui faz-se a ponte entre quem possui em casa artigos de que já não precisa e as instituições que aguardam bens para distribuir pelos mais carenciados. A funcionar desde 2006 pelas mãos de Fernando Chaves, a BUS conseguiu atribuir perto de 8 mil bens, em 2010. O site é uma preciosa ferramenta de encontro, para os doadores. Depois, uma carrinha faz a recolha ao domicílio. Mais informações sobre o projecto aqui.


  • Bolsa de valores sociais

No seu segmento, a BVS é já a segunda maior do mundo e a mais importante da Europa. Aqui, instituições previamente selecionadas conseguem obter financiamento para os seus projetos sociais, depois de se apresentarem, virtualmente, aos potenciais investidores. Os doadores podem adquirir ações sociais, entregando os donativos à BVS, através da qual acompanham o destino do seu dinheiro, mediante relatórios de resultados e de impacto. Mais informações sobre o projecto aqui.


  • Bolsa do voluntariado

Ponto de encontro para quem quer ser voluntário e quem precisa de ajuda. Funciona, em exclusivo, via net, e permite uma atualização, em tempo real, das necessidades de voluntários no País. Foi agora acrescentada uma área para programas desenvolvidos por empresas e organizações, envolvendo os seus colaboradores e comunidades locais. Tem, ainda, um espaço de doações online, de artigos para o lar. Mais informações sobre o projecto aqui.


  • Carrinha solidária

Francisco Lima, um diretor comercial, criou a Carrinha Solidária, veículo alugado para recolher todo o tipo de artigos que haja em casa para dar. Após uma ampla divulgação pela net e pelo comércio local, a carrinha estaciona, durante uma semana, numa determinada localidade. O que é recolhido será entregue a uma instituição previamente escolhida. A partir de 10 de dezembro, a carrinha estacionará em Oeiras.Mais informações sobre o projecto aqui.


  • Do something

Dirigido aos jovens, propõe-se incentivar grupos de amigos a criar projetos e clubes ligados a causas sociais específicas, que contribuam para a melhoria das comunidades onde vivem. Os mentores do site sugerem ideias que podem ser adaptadas ou comprometem-se a financiar projetos únicos. Mas as ideias, divulgadas no site, podem sempre atrair novos investidores. São também anunciadas oportunidades de voluntariado. Mais informações sobre o projecto aqui.

  • Movimento 1 Euro

Em torno de apenas um euro, um grupo de amigos, liderado por Bernardo Teixeira Motta, conseguiu dar vida a um pequeno movimento de apoio a instituições sociais. Cada pessoa contribui com um euro e, todos os meses, entre as organizações candidatas à ajuda, os doadores elegem uma delas, à qual é entregue o valor angariado. São também anunciadas oportunidades de voluntariado. Mais informações sobre o projecto aqui.

  • Plataforma contra a fome

Focada no apoio aos sem-abrigo e às comunidades mais vulneráveis, esta recém-criada plataforma desencadeia iniciativas que procuram envolver todos os cidadãos na resolução de problemas. Tem agora a decorrer um projeto de emprego para 150 sem abrigo, e outro de apoio a profissionais das forças de segurança, incluindo bombeiros. Mais informações sobre o projecto aqui.


  • PPL - Crowdfunding Portugal

Procura-se, aqui, fazer a ponte entre cidadãos que têm ideias de intervenção e de ajuda social e investidores que buscam projetos para apoiar. O conceito, conhecido por crowdfunding, conquista crescentes adeptos. Trata-se de seduzir mecenas através de boas ideias. Mais informações sobre o projecto aqui.

  • Trocas de amor

Projeto liderado pela apresentadora de TV Rita Ferro Rodrigues, funciona, em exclusivo, através do Facebook e de forma simples. Quem possui algo para dar, deixa aqui uma fotografia do que tem disponível e a morada, tornando mais fácil o acesso de quem precisa. Mais informações sobre o projecto aqui.

Fonte: Visão

Reflexão Notícias # 22

Famílias com crianças em risco têm novo método de auxílio

Uma investigadora da Universidade de Coimbra inverteu o paradigma da crianças em risco e criou um projecto que se centra no apoio às famílias em vez de retirar as crianças

Ana Teixeira de Melo, psicóloga, investigadora da Universidade de Coimbra considerou que o método usado para apoiar crianças e jovens em risco está ultrapassado. Ana Teixeira de Melo, psicóloga, defende que é necessário considerar os problemas da família em que se insere a criança em risco como sede do problema, vendo a família como um todo, em vez de retirar as crianças às famílias com acções dos tribunais ou pelas comissões de protecção de crianças e jovens (CPCJ).

A investigadora criou assim o Modelo de Avaliação e Intervenção Familiar Integrado (MAIFI) destinado a apoiar as comissões de protecção de crianças e jovens e os tribunais. O objectivo final é avaliar se é ou não possível manter a criança na sua família e apoiar o núcleo familiar de maneira a garantir a segurança e o bem-estar do menor, e se é possível controlar o risco a que está exposto, disse Ana Teixeira de Melo ao i. “Nós sabemos que os tribunais e as comissões têm muita dificuldade na condução dos processos de avaliação, por falta de metodologia e de instrumentos, e orientações adequadas à nossa realidade”, afirmou.

O modelo da investigadora dá formação aos profissionais para que possam conduzir as avaliações e dar resposta a um conjunto de questões que são importantes para decidir o futuro das crianças, segundo a investigadora, que já viu o projecto posto em prática em sete concelhos do país, junto de 67 famílias, através de centros de apoio familiar e aconselhamento parental, em ligação com os seus parceiros locais (CPCJ, tribunais e Segurança Social).

Desenvolvido e avaliado ao longo dos últimos quatro anos, o novo modelo de intervenção diferenciada necessita da adopção em pleno, ou seja, “de uma mudança radical nas políticas de funcionamento do sistema”, disse ao i.

Esta necessidade resulta da exigência de uma grande flexibilidade das instituições e dos profissionais. Sendo muito centrado nas famílias, não se coaduna com horários rígidos, dado que a equipa tem de estar disponível 24 horas por dia e tem de ter autonomia, alerta Ana Teixeira de Melo. Com “a crise que o país atravessa, o número de famílias com dificuldades vai aumentar seguramente, o que exige a adopção de mecanismos que as fortaleçam. Os modelos dominantes que apenas fazem diagnósticos de necessidades e não se centram nas forças são ineficazes”, alertou.

Outra mais-valia do MAIFI, cujo planeamento foi avaliado por especialistas nacionais e internacionais, é o facto de, pela primeira vez, combinar o trabalho clínico com as preocupações sociais, educativas, comunitárias e forenses. Esta aliança entre as preocupações clínica e forense é particularmente inovadora e essencial para a tomada de decisão, tornando o processo mais respeitador da família, porque a investigadora entende que não basta aumentar rendimentos ou ensinar competências parentais, pelo que é preciso apoiar a família para que seja forte, coesa e unida.

A investigação, financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, resultou na tese de doutoramento de Ana Teixeira Melo. Uma equipa que trabalha no terreno, desde 2007, em Murtosa, apoia 23 famílias. Fonte destas equipas disse ao i que as pessoas auxiliadas pertencem a famílias que, por “algum motivo, têm muitos desafios” e pertencem a diversos extractos sociais.

Fonte: Ionline

Semana da Igualdade e dos Direitos Humanos (Braga)

A Associação Famílias de Braga, no âmbito do Projeto Social Convergências, promove a Semana da Igualdade e dos Direitos Humanos.

Nesta semana estão previstos 3 seminários que contam com a presença de profissionais de várias áreas que abordarão os seguintes temas:

Tráfico de Seres Humanos
LOCAL: Estaleiro Cultural Velha-A-Branca - Braga
DATA: 28 DE NOVEMBRO
HORA: 21H00

Violência Doméstica
LOCAL: Pastoral Universitária - Braga
DATA: 29 DE NOVEMBRO
HORA: 21H00

Igualdade de Género
LOCAL: Casa do Professor - Braga
DATA: 30 DE NOVEMBRO
HORA: 21H00

Mais informações aqui.

Workshop: O Impacto Social e Psicológico da Crise

Realiza-se dia 15 de Dezembro, na Junta de Freguesia de Santa Marinha, (R. Cândido dos Reis, 545 – Vila Nova de Gaia) o workshop “O Impacto Social e Psicológico da Crise”.

Este Workshop é destinado a todos os interventores sociais e ao público em geral interessado pelas temáticas abordadas, entre as quais:
  • “Desemprego: um flagelo da sociedade: Que intervenções”,
  • “Saúde em Crise”
  • “Empreendedorismo e Inovação Social”.

A iniciativa é de entrada gratuita, mas inscrição obrigatória. A inscrição deve ser remetida até 9 de Dezembro via
gip@cvporto.org

Mais informações:
Gabinete de Inserção Profissional da Cruz Vermelha Portuguesa (Delegação do Porto)
telf: 223747240/2
gip@cvporto.org

23.11.11

Campanha Visão

Ajude o projecto que merece ser ajudado*

Parte das receitas, 50 cêntimos por revista, de banca da edição da VISÃO que está à venda será entregue a um projeto de intervenção social dirigido por uma IPSS. Contamos consigo para nos ajudar a escolher VENHA CONHECER OS PROJETOS:

Com a ajuda da SIC Esperança (IPSS do grupo Impresa, a que pertence a nossa revista) e do Montepio Geral, que patrocina esta iniciativa VISÃO Solidária, fizemos já a primeira parte do trabalho de seleção: os dez projetos aqui listados e ordenados por ordem alfabética das respetivas entidades gestoras. Cabe agora aos nossos leitores votarem naquele que consideram mais relevante. A votação estará aberta a partir de quinta-feira, 24, e decorre aqui, em visao.pt, até sexta-feira, 9 de dezembro. Os resultados serão publicados na revista de dia 15 do próximo mês.

Os projetos propostos pelo Montepio e SIC Esperança

Projeto 1: Construção de uma cozinha comunitária industrial, para dar resposta ao aumento significativo dos pedidos de ajuda. ANAP - Associação Nacional de Ajuda aos Pobres, IPSS do Porto, que conta com 7 anos de existência, tendo como principais destinatários todos os que se encontrem numa situação extrema de carência económica.

Projeto 2: Combate à Violência Financeira Contra Pessoas Idosas visa a divulgação dos direitos dos idosos, prevenindo-os e dando-lhes apoio e acompanhamento psicológico. APAV - Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, IPSS fundada em 1990 que tem como objetivo promover e contribuir para a informação, proteção e apoio aos cidadãos vítimas de infrações penais, em particular os mais carenciados.

Projeto 3: Levar a intervenção musical a mais hospitais, conferindo a este projeto âmbito nacional. Associação Portuguesa de Música nos Hospitais e Instituições de Solidariedade, fundada em 2006 pela dra. Ana Jorge, e é um projeto de Intervenção Musical, único e inovador, com a perspetiva de humanizar contextos de cuidados de Saúde.

Projeto 4: Aquisição de equipamentos para a criação de uma sala snoezelen. Associação Portuguesa de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer, constituída em 1988, em Lisboa, com o objetivo de apoiar indivíduos com a Doença de Alzheimer, seus familiares e cuidadores formais.

Projeto 5: Portugal + Feliz foi criado para apoiar as famílias mais carenciadas e vulneráveis à crise, procurando soluções para cada elemento da família, integradas com os problemas que afetam o agregado no seu todo, através da cobertura de áreas como a alimentação, apoio financeiro, competências pessoais e sociais, integração escolar e/ou profissional, saúde e outras. Cruz Vermelha Portuguesa, fundada em 1865, é uma ONGD que conta com 174 delegações locais e que procura ajudar as pessoas vulneráveis, sejam quem forem e onde quer que estejam, com o objetivo de proteger as suas vidas, saúde e dignidade.

Projeto 6: Em Família para Crescer está vocacionado para a prevenção, apoio e acompanhamento de crianças, jovens e suas famílias, em situação de risco social, tendo como objetivo o desenvolvimento de competências pessoais, sociais, escolares e profissionais dos jovens, visando a inclusão social pela mudança de comportamentos e atitudes. IAC - Instituto de Apoio à Criança, IPSS fundada em 1983 e que visa apoiar e divulgar o trabalho de todos os que se preocupam com a procura de novas respostas para os problemas da infância em Portugal, assumindo-se como promotor e defensor dos Direitos da Criança junto da comunidade em geral.

Projeto 7: Rastreio do Cancro da Mama, reforço da prevenção, das ações de sensibilização e da realização de rastreios por todo o país. Liga Portuguesa Contra o Cancro, ONG que visa promover a prevenção primária e secundária do cancro, o apoio social e a humanização da assistência ao doente oncológico e a formação e investigação em oncologia.

Projeto 8: Aquisição de equipamentos dirigidos a crianças inadaptadas, para melhorar níveis e inovar estratégias de intervenção. NECI - Núcleo de Educação da Criança Inadaptada, instituição de Lagos, de referência na área da deficiência, e a única resposta existente em termos de intervenção precoce.

Projeto 9: Requalificação do parque infantil, que se encontra desajustado e não corresponde às normas de segurança. Obra Social e Cultural Sílvia e Cardoso, fundada em 1921, em Paços de Ferreira, que tem como missão a promoção social e cultural desta região.

Projeto 10: Observatório da Luta Contra a Pobreza na Cidade de Lisboa, tem como objetivo contribuir para o conhecimento da realidade sócio económica da cidade e dar respostas concretas a problemas de combate à exclusão social e à pobreza. EAPN - Rede Europeia Anti-Pobreza Portugal, ONGD de âmbito nacional, constituída em 1991, e que tem como missão defender os direitos humanos fundamentais e garantir que todos tenham condições necessários ao exercício da cidadania e a uma vida digna, promovendo a luta contra a pobreza e a exclusão social e o trabalho em rede, envolvendo toda a sociedade civil.

Ler aqui.

* Título original do artigo. Merecem estes e todos os outros que não foram aqui considerados.

22.11.11

Biblioteca # 27

Novidades WOOK:


La Educación Social. Una Mirada Didáctica. Relación, Comunicación y Secuencias Educativas.

Autor (es): Artur Parcerisa Aran, Núria Giné Freixes, Anna Forés Miravalles
Ano de edição: 2010
Editor: Grao
ISBN: 9788478279647
Preço: 14,82€ - COMPRAR

Sinopse:

En el año 1999 se publicó la primera edición de Didáctica en la educación social. Aunque su buena acogida se refleja en las sucesivas reediciones, el tiempo transcurrido y los cambios que se han producido en la educación social y en la sociedad en su conjunto han animado a los autores a escribir este nuevo libro que complementa el anterior. Partiendo del convencimiento de que las aportaciones de la didáctica son fundamentales para la educación social, se profundiza en el concepto de educación social; se aplican los conocimientos didácticos al diseño, desarrollo y evaluación de acciones socioeducativas; se tratan cuestiones centrales alrededor de la relación educativa (la comunicación, el acompañamiento, la atención a la diversidad y la resiliencia); y se analizan distintos tipos de trabajo socioeducativo (individual, grupal, comunitario y también en medio abierto y con relación a la institución escolar). La presentación de casos sirve de ilustración y pretende ayudar a la reflexión. La didáctica proporciona conocimientos que orientan sobre el modo de analizar y diseñar procesos educativos y entornos favorecedores del aprendizaje y del desarrollo de la persona. Para complementar el libro de hace más de diez años, se ha intentado exponer y ejemplificar esos conocimientos, abarcando también campos emergentes, con el fin de que los lectores y lectoras dispongan de elementos que les puedan ayudar en la apasionante tarea de acompañar procesos de aprendizaje en la educación social. (daqui).


Compendio Conceptual de la Educación Social.

Autor (es): María Senra Varela, Josep Vallés Herrero
Ano de edição: 2010
Editor: Piramide
ISBN: 9788436823950
Preço: 14,72€ - COMPRAR

Sinopse:

El Compendio conceptual de la Educación Social es una obra de consulta con más de quinientos términos con la finalidad de facilitar información puntual sobre aquellos conceptos más comunes en los distintos ámbitos de intervención de la Educación Social. La obra es fruto de un largo e intenso trabajo de revisión bibliográfica para la búsqueda de esos términos comunes y no tan comunes que forman parte del lenguaje verbal y escrito y de la documentación especializada o de investigación que configuran la terminología propia de esta amplia parcela científica. En los nuevos planes de estudio integrados en el Espacio Europeo de Educación Superior adquieren gran relevancia los contenidos y el vocabulario propios de cada profesión. Desde esta perspectiva el Compendio conceptual está planteado como una herramienta de ayuda a alumnos universitarios, profesores y profesionales. Los autores han tratado de aunar tres difíciles cualidades: la concisión en la explicación, la cantidad de asuntos tratados y la claridad en la forma de exponerlos. La Educación Social es un amplio cuerpo científico de saberes muy diversos que, de forma más o menos extensa, se ha recogido y se refleja en este libro. El lector encontrará cumplida referencia bibliográfica para poder ampliar y profundizar en el estudio de cada concepto recogido (daqui).



Educación Social y Atención a la Infancia.

Autor (es): Juan Férnandez Millán, Andrés Hamido Mohamed, Manuel Férnandez Navas
Ano de edição: 2011
Editor: Gedisa
ISBN: 9788436825534
Preço: 17,66€ - COMPRAR

Sinopse:

Enseñar a un niño a conseguir lo que quiere con esfuerzo y sin agresión es la meta soñada de un educador en todos los campos. En este libro se desarrollan unas directrices, fundadas en las leyes básicas de la psicología, que permiten a los educadores afrontar las situaciones que frecuentemente se dan y que no son fáciles de manejar. Están formuladas con sencillez y con un lenguaje directo y concreto. Además, el libro se encuentra adornado con ejercicios prácticos que hacen más activa la enseñanza y permiten incorporar las normas a las situaciones concretas que cada educador vive. Se incluyen también instrumentos de evaluación que permiten objetivar las situaciones planteadas y orientar las soluciones. Como colofón se esboza una guía que puede ayudar a plantearse el tema de ir más allá, y encontrar soluciones propias a los problemas. Todos sabemos lo enormemente repetitiva que puede resultar una tarea si no se hace el esfuerzo de renovarla e incorporarla activamente a un proceso creador. Este cuaderno de aprendizaje puede ser un bálsamo que dulcifique la tarea del educador haciéndola más llevadera y gratificante en la medida en que se convierte en más exitosa (daqui).


La Educación Social: Universidad, Estado y Profesión.

Autor (es): Encarna Bas Peña, Margarita Campillo Diaz, Juan Sáez Carreras
Ano de edição: 2011
Editor: Laertes
ISBN: 9788475847054
Preço: 19,56€ - COMPRAR

Sinopse:

La investigación sociológica en España se ha ocupado escasamente de explorar las profesiones y cuando lo ha hecho ha obviado, con frecuencia, el concurso y la intervención de los diversos actores en los procesos de emergencia, desarrollo y conformación de la profesión que es estudiada. Salvo raras excepciones, los investigadores de los más diversos campos de conocimiento han explorado poco las posibilidades que encierra el concepto de profesionalización -un concepto clave en la teoría de las profesiones y, en general, en teoría sociológica- a la hora de asentar y ahondar en los territorios profesionales. La atención a este término o significante permite desvelar la importancia de los diferentes actores con los recursos que aporta al desarrollo de una profesión. Este trabajo aborda esta cuestión y la profundiza, poniendo especial interés en tres de los actores que contribuyen al proceso de profesionalización de la Educación Social -profesión tipificada como propia de los Estados de Bienestar- y de los educadores sociales o profesionales que la habitan: así, se da cuenta del papel que el Estado, la Universidad y la propia profesión juegan en tales procesos, mostrando particular énfasis en el segundo actor, como agencia formadora e investigadora inexcusable en la capacitación de los citados profesionales. Esta línea de investigación, en la que los tres autores del libro vienen insistiendo desde hace tiempo, propicia el abordaje de multitud de cuestiones, además de las ya citadas, como el de las competencias, la socialización profesional, los modelos de profesionalización, las políticas sociales, la urgente cuestión de la formación (daqui).



Las Mujeres en las Prisiones. La Educación en Contextos de Riesgo y Conflicto.

Autor (es): Fanny Añaños (coord.)
Ano de edição: 2011
Editor: Gedisa
ISBN: 9788497841450
Preço: 19,23€ - COMPRAR

Sinopse:

El difícil acceso a los centros penitenciarios, incluso si se consigue acceder a su interior, hace complejo el conocimiento y la comprensión de las realidades y de las vivencias de la población reclusa y de los procesos de acción-intervención que se desarrollan en ellos. Ya dentro, se comprueba que la situación de las mujeres es aún más dificultosa, puesto que no sólo són una poblacikón minoritaria, sino que los impactos en sus vidas y sus familias son muy costosos... (daqui).

Supervisão Pedagógica e Psicossocial na Terceira Idade

I Seminário da Delegação da Cruz Vermelha da Póvoa de Varzim




Ficha de inscrição disponível aqui.

21.11.11

Direitos Humanos em Portugal e no Mundo

«A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) promove a realização de uma "Semana Social" nos próximos dias 22 a 25 de Novembro dedicada às temáticas dos Direitos Humanos, Ambiente, Saúde e Integração Social.
O objectivo passa por sensibilizar os estudantes da Academia para um conjunto de causas sociais que exige a sua participação cívica e apelar aos valores da solidariedade, da responsabilidade social, da ética e do humanismo.Do programa de amanhã, salientamos uma conferência/debate sobre Direitos Humanos em Portugal e no Mundo.
Com esta conferência, pretendemos ouvir a opinião de algumas pessoas que trabalham nesta área e abordar a importância dos Direitos Humanos nos dias de hoje, bem como avaliar a sua evolução ao longo dos anos e perspectivar os principais desafios que teremos que enfrentar nos tempos mais próximos. »

Programa:
Hora – 16h00

Local – Auditório B2, Complexo Pedagógico II, Campus de Gualtar, em Braga.

Oradores convidados:
• Carlos Estevão (Coordenador do NEDH – IEUM)

• Jardim Moreira (Presidente da EAPN Portugal)

• Luís Sottomaior Braga (Assessor da Direcção da Amnistia Internacional)

• Teresa Sofia Silva (Gestora do Gabinete de Apoio à Vítima de Braga)

Moderador:

• Jornalista da Rádio Universitária do Minho

Mais informações:
Associação Académica da Universidade do Minho
Rua D. Pedro V, 88, 1º. and.
4710 - 374 Braga
Tlf. 967 838 171
Fax. 253 273 359

Encontro: Políticas Sociais e Democracia

Mais informações:
Instituto de Sociologia
Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Via Panorâmica s/n
4150-564 Porto
Gabinete 251 (Torre B - Piso 2)
Telef.: 226 077 132 (extensão 3251)
E-mail: isociologia@letras.up.pt
Site: www.isociologia.pt

18.11.11

Seminário: Inclusão, uma partilha de experiências


Programa:

1.º Painel:

14h30m – Apresentação dos Projectos em que o ISCET está implicado

● “Lagarteiro e o Mundo” – Dra. Paula Ferreira (Coordenadora)

● “Um Mundo à Escolha” – Dra. Sofia Rocha (Coordenadora)

15h00m – Experiências partilhadas (testemunhos)

● D. Catarina Ribeiro

● Desirée Matos Regazzoni

● D. Maria de Fátima Dias Silva – Associação ABRAÇO

15h30m – Cofee Break


2º Painel

16h00m – Que respostas para a Inclusão? A realidade Portuguesa, Espanhola, Cabo Verdiana e Brasileira.

16h45m – Visionamento do Filme: “Desencontros” de Pedro Neves

17h30m – reflexão sobre o filme – Dra. Sónia Lima – Núcleo Distrital do Porto da EAPN Portugal

18h00m – Encerramento


Mais informações:
ISCET - Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo
Rua de Cedofeita, 285
4050-180 Porto
Portugal
Ph.+351222053685
F.+351222053744
Mob.+351914938565
fvilela@iscet.pt

Publicações online # 32

17.11.11

Oferta de Emprego # 11

Técnico Acção Social (Lisboa)

Descrição da função:
- Responsável por executar processos de realojamento temporário de famílias;
- Resposta (presencial e escrita) aos munícipes, nomeadamente, sobre as seguintes questões:
- Missão, objectivos e actividades da empresa;
- Obras no espaço público (reclamações, sugestões, esclarecimento de dúvidas);
- Dever de reabilitação dos imóveis;
- Direitos e deveres de proprietários e arrendatários.
- Acompanhamento de munícipes referenciados como de fragilidade económica e social;
- Actualização e manutenção do site da empresa.

Perfil do candidato:
- Capacidade de gerir conflitos;
- Capacidade de transmitir a terceiros conhecimentos, informações e decisões sob a forma verbal e escrita;
- Bons conhecimentos de informática na óptica do utilizador;
- Ser responsável, perfeccionista e organizado;
- Ter capacidade de trabalho e de integração em equipas;
- Disponibilidade e possibilidade de entrada imediata.

Oferta:
- Remuneração compatível com as funções;
- Integração em equipa competente, motivada e dinâmica;
- Integração em empresa com funções socialmente relevantes.

Contacto:
Envio de candidatura através do site Expresso Emprego

Observações:
Possibilidade de requisição à Administração Central ou Local